Maranhão na tela

Loading...

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

A Palavra Acesa de José Chagas

V.A. - A Palavra Acesa de José Chagas

 José Chagas (fragmento de Os Telhados, 1965)


"José Chagas, paraibano que escolheu São Luís para morar na década de 40 ganhou mais que uma nova cidade, uma musa constante para os versos. Aos 89 anos, a poesia ainda brota da inspiração de José Chagas. Por isso, ganhou até o título de cronista da capital maranhense.
Mas a poesia de chagas tem também melodia. A descoberta foi feita pelo cantor e compositor Zeca Baleiro e pelo poeta Celso Borges. Eles transformaram em música, poemas de José Chagas.
E cada música foi entregue para um cantor convidado. O resultado do trabalho está no CD A Palavra Acesa de José Chagas. 'O projeto surgiu entre uma conversa informal entre mim, Celso Borges e André, amigos queridos e entusiastas das fãs da poesia do Chagas, como eu, que é um poeta que já fazia música antes de fazer. Primeiro porque a poesia dele tem muito ritmo, muito musical', explicou Baleiro.
Para os idealizadores do projeto, o objetivo não é fazer somente uma homenagem ao poeta, é celebrar a poesia de Chagas. 'Esse trabalho tem um espírito de afeto enorme, de generosidade de todos os músicos que participaram. Foi um ano e meio de muito trabalho, mas também de muito prazer', disse Celso Borges".

http://www.4shared.com/rar/0ov7q6OK/VA_-_A_Palavra_Acesa_de_Jos_Ch.html 
V.A. - A Palavra Acesa de José Chagas


Assis Medeiros - Os Canhões do Silêncio (do livro Os Canhões do Silêncio, 1979)

Adaptação: Cassio Oliveira
Fonte: http://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/2013/12/poemas-de-jose-chagas-sao-musicados-e-viram-cd.html

sábado, 5 de outubro de 2013

Unidade Punho Forte



O cantor maranhense, vocalista da banda carioca Unidade Punho Forte, José Rodrigues, faz sucesso com as pedras: Para Deuses Humanos, Boas Ações, Reggae e Flores Para Vocês, Mulheres, Bons Sonhos, Ave Rara e Ancestrais.
 Banda – A Unidade é formada pelo vocalista José Rodrigues, por Josael Guimarães (guitarra), Marcelo Alves (guitarra), Gaudino Marcio (bateria), Wagner Roots (bateria), Fábio Rodrigues (percussão) e Marcio Baba (contrabaixo). Rodrigues mora há 30 anos em Niterói (RJ) e há 14 anos fundou a banda na cidade. O cantor relata que eles foram pioneiros ao levar a filosofia rastafári para o local.
“A proposta é utilizar o reggae para fazer músicas conscientizadoras, que lutem contra o preconceito e preguem ideais de igualdade e paz”, disse ele. O grupo tem um público consolidado no estado e já dividiu o palco com bandas como Natiruts, The Gladiators e The Conors. O primeiro álbum da banda Para deuses humanos foi lançado em 2001; o segundo Reggae pelo Brasil, em 2005 e o terceiro Perfil reggae” em 2008, teve boa repercussão.

 
Unidade Punho Forte - A Vida é Assim 

Unidade Punho Forte - O Reggae No Meu Samba




 
Unidade Punho Forte - Para Deus e Os Homens (Reggae Pelo Brasil)

Unidade Punho Forte - Reggae Flores Para As Mulheres


Adaptação: Cassio Oliveira
Fontes: http://www.universidadefm.ufma.br/?p=9924                                                                              https://www.facebook.com/UnidadePunhoForte

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Adaga - Música Para o Mundo

Coletânea Adaga, com presença de várias bandas da cena atual das baladas de São Luis; Volume 1 - Música Para o Mundo, conta com 13 faixas bem produzidas:
01. Gallo Azhuu - Amor

02. Vinil do Avesso - Vida Real 

03. Saga Dos Salientes - Gato Imundo

04. Velttenz - Jimi

05. Megazines - The Golden Boy

06. Fúria Louca - The Criminal Novel

07. Farol Vermelho - Liberdade Não Tem Preço

08. Utrason - E Se

09. Heriverto Nunes - Samba de Esquecer

10. Pedeginja - Talvez

11. Ryc Bondinho - Flecha

12. Casa Louca - Dois Contra o Mundo

13. Emílio Sagaz - 3 Ponteiros


Coletânea Adaga - Música para o Mundo Vol. 1

Adaptação: Cassio Oliveira

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Gallo Azhuu

      A Gallo Azhuu é uma banda maranhense que já tem em seu currículo participações em festivais por todo o Brasil. Formada por Pataugaza (guitarra e vocal), Moaci Junior (Guitarra), André Grolli (baixo) e Denis Carlos (bateria), a banda faz um rock’n’roll influenciado por blues e rock clássico setentista, com letras sobre sexo “Amor”, “Praia”, “Um Filho Em Você”, psicodelia “O Homem-Árvore”, “Platypus” e o sobrenatural “Espingarda”, “Mansão dos Mortos”.

Gallo Azhuu - Gallo Azhuu

Gallo Azhuu - Hippie Rico

Adaptação: Cassio Oliveira

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Bumba Meu Boi Unidos de Santa Fé


"A fundação do Bumba meu boi Unidos de Santa Fé é atribuída a José de Jesus Figueiredo, o “Zé Olhinho”. Nascido no município de São Vicente de Férrer, na baixada maranhense, o atual amo do Boi de Santa Fé mudou-se para a capital em abril de 1955. No início dos anos 1960, ele começou a participar do Boi de Pindaré, onde se destacou como cantador.Algum tempo depois, Zé Olhinho acabou se desligando do grupo e criando o “Boi de Pindaré 2”, que mais tarde mudou de nome para o atual Boi Unidos de Santa Fé. A brincadeira nasceu dentro da comunidade do Bairro de Fátima. No começo, os 45 brincantes se reuniam no Barracão da Escola de Samba Unidos de Fátima, que foi cedido pelo diretor da escola até que o grupo adquirisse uma sede própria.Hoje, a brincadeira conta com quatro CDs lançados e, aproximadamente, 160 integrantes. “O Boi de Santa Fé é uma casa aberta. Todo momento chega gente e sai gente”, diz Zé Olhinho com orgulho". 
Balança Terreiro
Bumba Meu Boi Unidos de Santa Fé homenageando os 400 anos de São Luis e os 25 anos de existência da brincadeira.

Nathalia Ferro

Nathalia Ferro - Instante

     Nathalia Ferro é apenas um dos novos talentos da música maranhense, mas já mostra um trabalho de extrema qualidade e bom gosto. Influenciada por bons músicos da MPB e também qualquer bom maranhense, o reggae; Nathalia mostra um trabalho eclético com base em várias fontes, do rock progressivo até clássicos dos anos 80. O “Instante” que possui 05 faixas, sendo elas autorais, com os parceiros André Grolli (baterista da banda) e Rommel Ribeiro além de uma canção do compositor Paulo César Linhares, foi produzido por músicos que souberam, com criativa sensibilidade e enorme liberdade, pintar o som de uma artista forte, feminina, fugidia e extremamente sensual, pouco preocupada com o que deve ser, mas em total intimidade com o que é. 
Instante by Nathalia Ferro

Adaptação: Cassio Oliveira
Fonte: http://jornalpequeno.com.br/2013/05/08/ouca-instante-primeiro-ep-de-nathalia-ferro/

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Celso Borges

     Antonio Celso Borges Araujo é de São Luís do Maranhão, onde nasceu em 1959. Poeta, jornalista e letrista, viveu em São Paulo durante 20 anos e retornou a São Luís em 2009. Produziu vários livros de poesia: "Pelo Avesso" (1985), "Persona Non Grata" (1990), "Nenhuma das Respostas Anteriores" (1996), "XXI" (2000), "Música" (2005), e "Belle Époque" (2011), os três últimos no formato de livro-CD, com a participação de mais de 50 poetas e compositores de várias cidades brasileiras.
     Não se deixe levar apenas pelo que diz o título do livro-CD. Isso é só uma parte daquilo que ele tem a oferecer. “Música” é um livro que traz de maneira perfeita a intersecção entre música e poesia. Com experimentações sonoras, fragmentações de poemas, “reconstrução de novos ” e poesia ritmada. Escrito pelo jornalista e poeta maranhense Celso Borges, o “livro” conta ainda com as vozes de Zeca Baleiro, Josias Sobrinho, Chico Cesar, entre outros.
Citações de escritores maranhenses (tal qual o poeta Nauro Machado), exaltações a fatos históricos e críticas à São Luís também fazem parte que nos atrai também pela sua parte visual, com o jogo entre palavras e cores muito bem representado pelas imagens do livro-CD.
Até certo ponto provocador e inquietante, o “Música” leva o leitor a uma nova dimensão do que pode ser lido, visto ouvido e sentido.
Capa do Livro: Música

Capa do CD: Música

Adaptação: Cassio Oliveira

domingo, 26 de maio de 2013

Betto Pereira

     Com 25 anos de carreira, Betto Pereira, que além de cantor, é músico, compositor, arranjador, produtor e apresentador de TV, todo ano faz um CD para a temporada junina. Este ano o trabalho contém 08 faixas inéditas, dentre autorais e em parceria com artistas: Erasmo Dibell e Gerude, em Todo Sanfoneiro é Bom; Celso Reis, em Forrokiá; Félix Alberto, em Clara; e Josias Sobrinho, em Jogo do Amor. Com ritmos típicos do período junino como: quadrilha, xote, bumba-meu-boi, baião, tambor de crioula, salsa, merengue, forró. “Mas forró pé de mangue! É que aqui não tem serra”, brinca Betto Pereira na produção do CD “Quero Festa", especial para a temporada junina maranhense.
Betto Pereira - Quero Festa

quinta-feira, 2 de maio de 2013

BR 135


     Projeto desenvolvido para fomentar a cultura e formar platéia para a música atual produzida no Maranhão. 
Envolve a realização de shows durante todo o ano de 2012 e coletâneas em CD e vinil com músicas de artistas da nova cena musical de São Luís. 
      A estrada que liga a capital maranhense a diversos lugares do país foi escolhida para dar título ao projeto inusitado, pois os artistas maranhenses possuem forte identidade e têm como ponto de partida ou de chegada as influências do Maranhão, seja na poesia, nos ritmos, nas melodias ou nas referências, ou seja, na BR-135. Realização: Criolina

Aqui temos o CD que reúne 24 artistas e grupos maranhenses gravados em 18 shows realizados em 2012.

V.A. - BR 135 Vol.1

Faixas:
02 Criolina - Revanche
03 Dicy Rocha - Jolie
04 Madian e o Escarcéu - O Rei Está Nu
05 Zé Maria Medeiros - Boi Prateado
06 Afros - Maguinha Cajuína
07 Flávia Bittencourt - Parangolé
08 Manu Bantu - Nega Nagô
09 Preto Nando - 4P
10 Vinil do Avesso - Blues da Escuridão
11 Poeta Celso Borges - O Futuro Tem Um Coração Antigo
12 Bruno Batista - As Cigarras
13 Pé de Ginja - Salsa de Um Ex-Amor
14 Nathalia Ferro - Sangue do Meu Sangue
15 Souvenir - Reach Out the Sun
16 Megazines - Golden Boy
17 Raiz Tribal - Jah Sigo
18 Coletivo Gororoba - Na Contra Mão da Maré
19 Santa Cruz - A Riqueza
20 Tribo de Jah - Neguinho Babaçu
22 Omar Cutrim - Remelexo
23 Banda Legenda - A Paz
24 Tutuca - Melodias

Adaptação: Cassio Oliveira

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Banda Guerreiro Zumbi


     A trajetória da banda de reggae Guerreiro Zumbi começa em 2005, tocando em bares e casas de shows em São Luís. Mas só foi fundada oficialmente em 2006 pelo baterista Richardson Pato. Sua primeira canção de sucesso chama-se “Positividade”, de autoria do próprio fundador, a qual disputou a IX Edição do UNIREGGAE (Festival Universitário De Reggae) realizado pela UFMA (Universidade Federal do Maranhão), ficando em 2º Lugar na votação do júri técnico do Festival.
     Com a chegada de Nelma Rocha ao vocal e Edinho Bastos na guitarra, a banda apostou em suas próprias canções autorais. Logo surgiu “Praieira”, tornando-se uma das músicas mais executadas do ano nas rádios locais, indicada ao prêmio “Melhor Reggae do Ano”, disputando com bandas de nome nacional, como Tribo de Jah.
     Depois de muita luta, tendo passado um ano e sete meses em estúdio, a banda consegue finalizar o seu 1º CD totalmente independente.

Guerreiro Zumbi - CD Promo
Guerreiro Zumbi - Positividade by Guerreiro Zumbi


Guerreiro Zumbi  - Reggae Amor e Paz

quarta-feira, 27 de março de 2013

Zé Lopes

"Deixa
Eu beber nos teus olhos
Esse mar azul
Encontrar o meu norte
Roubar teu sul
E vagar pelas quatro estações do amor
Seja
O que a gente acredita
Que não tem fim
Uma estrela vagando
No teu jardim
E uma rosa sem medo do espinho"

     Pequeno fragmento da belíssima música Outra Metade, na parceria de Zé Lopes e Marcus Garcia  presente no CD Aos Brincantes. Zé Lopes canta e encanta acompanhado de bons artistas com variados ritmos: forró, tambor de crioula, tambor de mina, xote, quadrilha, carimbó, mambo e a nossa riqueza maior, o Bumba-Meu-Boi. "É um show, produto de muita inspiração, transpiração, ensaio e pesquisa".

Destaque para um parte da ficha técnica:
Zé Lopes Voz, vocais, percussão, efeito, palmas, animação e arranjos
Kaé Dias Violão de aço e nylon, guitarra, teclados, palmas, animação e arranjos
Gil Estrela Baixo
Carlos Magno Banjo
Júlio César Violão de nylon em "Viagem de Junho"
Alçvileno Teclados em "Viagem de Junho" e "Princesa do Mearim"
Marcus Garcia Vocais, palmas e animação
Chico Newman percussão em "Princesa do Mearim"
Shirley Garcia Vocais, palmas e animação
Gerude Voz, violão e vocal em "De Cara" e animação em "Outra Metade"
Nonato Souza Triangulo e pandeiro em "Arrocha o Nó"
Davi Faray Voz em "Viagem de Junho"   
Lais Palmas e animação em "Arrocha o Nó"
Eliézio Sanfona, violão, e arranjo em "Forró no Canecão"
Abdiézio Zabumba em "Forró no Canecão"
Micrézio Triângulo e pandeiro em "Forró no Canecão"

Zé Lopes - Aos Brincantes
Adaptação: Cássio Oliveira

sábado, 2 de março de 2013

Luiz Guerreiro


O Negro Encanto de Um Negro Guerreiro*
     De África, abrasileirada e repleta de maranhensidade, brota a criação deste canto encantado do compositor e militante negro e cultural, como faz questão de assim ser chamado LUIS CARLOS GUERREIRO.
     Finalmente, sob a forma de CD, esculpido na dura rocha das dificuldades, que sempre permearam a possibilidade de expressões de um produtor negro e pobre, que não faz concessões com sua vida, quixotescamente, contra os poderosos moinhos de vento do preconceito racial, cultural e econômico.
Moleque esperto, herdeiro do Querembentã, herança da linhagem afro-religiosa de sua inesquecível Mãe Mariazinha, tem seu circulo simbólico de pertencimento com raízes fincadas no tradicional Bairro de Fátima, porém com abertura a passagens universalizadas pelos terreiros culturais da Bahia e de outros brasis, convertidos ao seu negro encanto.
     NEGRO ENCANTO é o nome da fera, que não é besta, agora e aqui disponibilizada sob a forma de canções, registradas decentemente em CD (original e repressagem). São doze faixas trabalhadas diligentemente pela atenciosa e competente direção musical de Arlindo Pipiu, que é quem também assina a produção do feito. Nelas, a africanidade da alma de GUERREIRO se revela num impressionante diálogo de ritmos que somente a música é capaz de conceber e, generosamente, ofertar para o desfruta de todas as raças. Usando a sinceridade como principal critério sem abrir mão da qualidade, juntou um time eclético de compositores de reconhecidas expressões culturais: Marcos e Abel Moura, Erivaldo Gomes, Ribão D’oludô, Naldinho Pinheiro, Gerô, Oberdan Oliveira, Joãozinho Ribeiro e o próprio chefe da função LUIS CARLOS GUERREIRO, que para a nossa imensa satisfação gullariana, continua vivo, bem vivo!
Joãozinho Ribeiro
Poeta/Compositor

            
Original
Repressagem

       



Yorubá-Mará by Luiz Guerreiro Gingando Solto by Luiz Guerreiro

*Texto extraido do encarte original do CD Negro Encanto

sábado, 19 de janeiro de 2013

A Máquina de Descascar’Alho

A Máquina de Descascar'Alho - Carnaval de Rua de São Luís - MA

"A bem da verdade, registre-se que a Máquina de Descascar’Alho muito contribuiu para o resgate do carnaval de rua, que hoje é o esteio do carnaval do Maranhão, quer na Capital, São Luís, quer no interior do Estado. Perceber esses sons, aguçando a audição com animadas faixas, capitaneadas pelo afro-samba 'A Lasca', é dar alegria ao corpo. Então deixemos vibrar os nossos sentidos, para louvar o som moleque, contagiante e ímpar, vindo lá do bairro da Madre Deus – pedaço de chão sagrado onde Deus fez brotar a sabedoria popular que se destaca mundo afora, através de seus poetas, músicos, compositores e de suas inúmeras manifestações culturais.
Aumente o volume que 'lá vem ela'"

Morro do Querosene-Barreira Sanitária-Golfo Deu-Tira Que Tá Doendo-Tira o Dedo-Cabeça de Alho by A Máquina de Descascar'Alho

Adaptação: Cássio Oliveira
Fonte: http://blogregional310.blogspot.com.br/